entrevista

Presidente da CBF abre o jogo sobre paralisação do Brasileirão Série A 2024: "gestão democrática"

Ednaldo Rodrigues descartou soluções como impedir rebaixamento de times gaúchos

Imagem do autor
Cadastrado por

Robert Sarmento

Publicado em 14/05/2024 às 9:25 | Atualizado em 14/05/2024 às 9:43
Notícia

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, revelou que a paralisação do Brasileirão Série A depende dos clubes. Em reunião, o dirigente afirmou que vai alertar sobre os impactos.

Grêmio, Internacional e Juventude solicitaram à CBF solicitando a paralisação por até três rodadas. A entidade convocou um Conselho Técnico no dia 27 de maio para decidir.

BRASILEIRÃO SÉRIE A VAI PARAR OU NÃO?

Por causa da tragédia climática assolou o Rio Grande do Sul, todos os jogos dos times gaúchos, em todas as divisões nacionais masculinas e femininas, foram adiados até a data citada.

"Temos um calendário difícil, e a paralisação pode tornar tudo ainda mais difícil", contou em entrevista exclusiva ao ge durante Congresso da FIFA, em Bangkok, na Tailândia.

Ednaldo revelou que a pausa no campeonato interfere no calendário, nas classificações para as competições internacionais e na economia.

"Não é tão fácil assim. Mas somos todos democráticos. Depois de colocar esses pontos para que eles definam, não tenho como ficar contrário porque nossa gestão é democrática", disse.

Na noite da segunda-feira (13), os times da Liga Forte União divulgaram um comunicado (abaixo) em prol da paralisação imediata assinado por:

  • Athletico-PR
  • Atlético-GO
  • Botafogo
  • Criciúma
  • Cruzeiro
  • Cuiabá
  • Fluminense
  • Fortaleza
  • Internacional
  • Juventude
  • Vasco da Gama

 

Reprodução/LFU
Nota da Liga Forte União sobre a paralisação do Brasileirão Série A - Reprodução/LFU

Tags

Autor